Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

AFIFE DIGIT@L jornal on-line de Afife

NOTICIAS LOCAIS E REGIONAIS ACTUALIZADAS SEMANALMENTE AOS SÁBADOS ÀS 21h30 ........ e-mail: afifenoticias@sapo.pt

NOTICIAS LOCAIS E REGIONAIS ACTUALIZADAS SEMANALMENTE AOS SÁBADOS ÀS 21h30 ........ e-mail: afifenoticias@sapo.pt

...

AFIFE DIGITAL          

SEMANÁRIO ON-LINE DE AFIFE                  
EDIÇÃO ACTUALIZADA AOS SÁBADOS PELAS 21H30    
EDITADO POR AFIFE NOTICIAS, Caminho da Cabriteira, 4900-012  AFIFE. Portugal  
ENVIE-NOS NOTICIAS PARA E-mail:                                             
 afifenoticias@sapo.pt                     

. NOTICIAS ON-LINE     CLIQUE EM NOTICIAS    

.NOTICIAS DE AFIFE  EM TEMPO REAL  .0 NOTICIAS NOVAS   

NOTICIAS  REGIONAIS EM TEMPO REAL   0     NOTICIAS NOVAS 

  NOTICIAS  EM NECROLOGIA .      0  NOTICIAS NOVAS   

 

JUNTA DE FREGUESIA .      CASINO            RADIO         

  ASSOCIAÇÃO   APCA 

  ***********************************************

.AFIFE DIGITAL   DE FERIAS,  voltamos em Setembro com as edições normais, no entanto estaremos em edição on-line e colocaremos aqui a informação, sempre que para tal se justifique.   para ver a ultima edição, click  aqui         

 ACTIVIDADES:           EDIÇÃO  ON-LINE            

 .

Escola de Afife; vão ser inauguradas as obras que ocorreram no edificio escolas de Afife, este  domingo pelas 11h00, presenta vai estar o presidente da Camara entre outras entidades.

Associação Desportiva Afifense, prepara-se para o inicio do campeonato nacional de andebol.

Afife, vai participar no sábado, no cortejo das festas da Senhora da Bonança em Vila Praia de Ancora.

Em Carreço, foi lançada hoje a primeira pedra para a construção da nova creche da freguesia que vai estar concluída dentro de 11 meses.

O Afife Digital,volta no próximo sábado,com as edições normais.

AFIFE COM BOA REPRESENTAÇÃO NO CORTEJO.                       

          

Afife, voltou a estar representada no cortejo, histórico e etnográfico das festas de Viana que aconteceu esta tarde.  Não terá tido tanto publico a assistir como o ano anterior, até porque haviam muitas clareiras nas bancadas e até não terá sido atingiu o tal milhão de visitantes que se previa, mas é certo que foi um cortejo com mais figurantes e carros, já que foram duas horas e meia a ver passar o cortejo.

 

.É hora de entrar que o barco está de saida.

              

No entanto, também acontecem coisas engraçadas, pois logo depois da saida, um carro que ostentava a porta do castelo, não resistiu a um desnível mais acentuado da rua e tombou, no entanto não galtou ajuda e em poucos minutos, o carro estava em condições de  seguir o percurso.

 

Afife, participou no cortejo historico  do Ano Santo Jacobeo 2010 e etnográfico, primeiramente, foi a Caravela de Viana, ou carro da cidade, como é conhecida, que era composta por uma tripulação exclusiva de Afifense, com o presidente da junta a capitanear a embarcação e o Antonio Neiva a recitar poesia alusiva ao mar e a Viana.

               

 Eram 25 elementos que compunham a tripulação e desempenharam muito bem o seu papel, no galeão mais conhecido de Viana. A parte etnográfica, Afife levou o chamado fato do mar, em que varias mulheres com o redenho desfilaram, com o argaço  ainda fresco pendurado, seguidas do fato mais original e característico do mar, que era o de Castelo do Neiva.

 

O fato de ir à erva, também se fez representar, com vários elementos ligados ao grupo de folclore a desfilarem, e mesmo o fato de luxo que também desfilou no cortejo.

Outras pessoas participaram como o Dr., Garrido nos peregrinos de Santiago, já que tem feito inúmeros percursos dos vários caminhos, a Sabrina e o Dr. Abilio, com os seus acordeões entre muitos outros que incorporaram este cortejo de Viana e o Cassio, que teve que ir com o tractor rebocar um carro.

----------------------------------------------------------------

Esta tarde o folclore de Afife, vai participar no cortejo a partir das 16h00, bem como muitos figurantes da freguesia. Pelas 21h30, o folclore de Afife, volta a estar representado na festa do traje, no Castelo de S. Tiago da Barra.

FOLCLORE DE AFIFE, MUITO APLAUDIDO.

O Grupo de Folclore de Danças e Cantares de Afife, desfilou e dançou  nas festas de Viana e foi muito aplaudido, tanto no desfile que saiu do largo da estação, como no palco da Marina onde dançou. No entanto o grupo, assim como alguns outros,saíram prejudicados no desfile, já que Afife desfilou logo a seguir aos grupos de bombos, o que não permitiu que se tivesse feito ouvir os cantares de Afife durante o desfile.

 Esta é uma situação que a organização terá que rever, já que assim e desta maneira,todos os grupos de folclore que vão à frente ou logo a seguir aos bombos, saem prejudicados.

----------------------------------------------------------------------

Esta noite, o Grupo de Folclore de Danças e Cantares de Afife, participa no desfile,"Vamos para a romaria" a partir das 21h00 com saída do largo da estação e de seguida vai actuar no palco do anfi-teatro da Marina.

  CARTAZ CRITICO.              

         

A cidade de Viana acordou esta manhã com alguns panfletos imitando de forma critica o cartaz das festas da Senhora da Agonia 2010, que se encontravam colados em sinais de transito, espalhados pelas ruas junto a S. Domingos, bem como em outros locais da cidade. Estes foram certamente imprimidos de computador e no lugar da mordoma estava a cara barbuda de um artista de cinema, no cais mostra o titanic a afundar-se e um nadador salvador atento, assim como indica ser o cartaz das festas de 2010. Sabemos que o cartaz das festas deste ano, foi contestado,por alguns que não concordaram com tudo aquilo que este apresenta, mas também sabemos que nestas coisas não se pode agradar a todos e acima de tudo o cartaz, foi aquele que a comissão de festas considerou o melhor e por tal são elas que tem uma palavra a dizer nestas coisas,porque são eles que bem ou mal realizam a festas. Agora este cartaz, pode criar algum mal estar, precisamente no primeiro dia das festas, contactados pelo Afife Digital, a Viana Festas, não se quis pronunciar e alguns elementos disseram mesmo desconhecer esse panfleto.

   AFIFE ESTEVE ESTA MANHÃ NO CORTEJO DA MORDOMIA.         

Abriram as festas de Viana de 2010, com o tradicional cortejo da mordomia, onde as freguesias do concelho participam com as suas lavradeiras e Afife sempre colabora, tanto com o seu Grupo de Folclore, como com a Junta de Freguesia. Uma delegação Afifense esteve presente esta manhã  a integrar o cortejo da mordomia, onde o fato vermelho e azul, os mais simples de todos os fatos à Vianesa marcaram presença, representando a freguesia com tantos usos e costumes, que se vão mantendo vivos.

O cortejo iniciou-se como habitualmente no Governo Civil, onde o governador civil, Pita Guerreiro, recebeu  a comissão de festas e as mordomas, Aqui foi a vez de Flora Silva a presidente da Assembleia Municipal a tecer considerações sobre as festas de Viana ao longo dos tempos, enaltecendo a vertente religiosa e mesmo a criação do dia 20 de Agosto, como feriado municipal.

Apresentadas as formalidades habituais, saiu o cortejo com os bombos à frente, seguindo-se as delegações de folclore em direcção à câmara municipal onde foram apresentar saudações ao executivo camarário, Aqui José Maria Costa o presidente da edialidade Vianense, recebeu toda a mordomia, saudou o seu trabalho e Francisco Sampaio,presidente das festas, usou da palavra, tecendo referencias ás festas de Viana e não deixou de evocar o S. João de Arga, como romaria de destaque do Alto Minho. Seguidamente o cortejo deslocou-se para S. Domingos, onde finalizou.

Este ano a afluência de publico,ficou neste primeiro dia abaixo daquilo que tem acontecido nos últimos, certamente a crise também se pode vir a refletir na romaria, mas este é só o primeiro dia e ainda é muito cedo para se fazer balanços.

 A participação Afifense foi significativa e muito aplaudida e acima de tudo a freguesia esteve muito bem representada. 

 A cidade apresentou-se com os tapetes a enfeitar as ruas da Ribeira,cobertas com motivos construidos em sal colorido,um trabalho que durou toda a noite a fazer.

NÃO É PACIFICA A VINDA DE ALUNOS DE SOUTELO PARA AFIFE.

Com o encerramento da escola de Soutelo e a passagem desta freguesia  para o agrupamento de escolas de Viana, os alunos deste estabelecimento escolar, passariam a frequentar a escola de Afife, no entanto não é pacifica esta transferência, pois os muitos pais não querem que os seus filhos venham para a escola de Afife e foram varios oa que  já inscreveram os seus filhos no agrupamento das escolas de Vila Praia de Ancora. Pode mesmo acontecer que sejam poucos ou mesmo nenhuns os alunos de Freixieiro de Soutelo que venham a frequentar a escola de Afife. O Afife Digital sabe que há divergências a vários níveis, com professores e mesmo politicas que não querem que os alunos desta freguesia venha,a frequentar o estabelecimento de Afife, no entanto há outros que defendem  Afife, em detrimento de Vila Praia de Ancora. Este é um caso que vamos acompanhar e que promete novos desenvolvimentos.

 AFIFE, VAI  PARTICIPAR NAS FESTAS DE VIANA A PARTIR DE SEXTA-FEIRA.

 

A freguesia de Afife vai estar representada nas festas de Viana com varias dezenas de elementos nos varios números da romaria. Assim e a iniciar, esta sexta feira, lavradeiras do Grupo de Folclore de Afife e outras Afifenses, vão participar na Mordomia, que sai pelas 10h00 do Governo Civil de Viana, em cortejo são recebidos na Câmara e descem a avenida dos Combatentes. Neste cortejo da mordomia, vão estar representadas todas as freguesias do concelho.

           

 Pelas 21h00, é a vez do Grupo de Folclore participar com todos os seus elementos na festa, assim participa no desfile dos bombos e grupos de folclore que partem do largo da estação,descem a avenida e dirigem-se para os palcos, onde vão actuar, o Grupo de Afife, vai actuar no palco da Marina.

               

No sábado, 25 Afifenses, liderados pelo actor António Neiva, vão integrar o galeão dos mares, numa parte histórica ligada ao mar, onde o Neiva vai durante o percurso, recitando poemas alusivos a Viana. Pelas nove da noite no Castelo de Santiago da Barra, o folclore de Afife vai estar presente na festa do traje, onde como que em desfile de moda,se vão apresentando alguns dos trajes mais usuais nas freguesias. Serão bem mais de uma centena de pessoas de Afife que vão participar nas festas da Agonia deste ano.

...

AFIFE DIGITAL          

SEMANÁRIO ON-LINE DE AFIFE                  
EDIÇÃO ACTUALIZADA AOS SÁBADOS PELAS 21H30    
EDITADO POR AFIFE NOTICIAS, Caminho da Cabriteira, 4900-012  AFIFE. Portugal  
ENVIE-NOS NOTICIAS PARA E-mail:                                             
 afifenoticias@sapo.pt                     

. NOTICIAS ON-LINE     CLIQUE EM NOTICIAS    

.NOTICIAS DE AFIFE  EM TEMPO REAL  .1 NOTICIAS NOVAS   

NOTICIAS  REGIONAIS EM TEMPO REAL   1     NOTICIAS NOVAS 

  NOTICIAS  EM NECROLOGIA .      0  NOTICIAS NOVAS   

 

JUNTA DE FREGUESIA .      CASINO            RADIO         

  ASSOCIAÇÃO   APCA 

  ***********************************************

 ACTIVIDADES:

Folclore de Afife, atuou em S. Lourenço da Montaria, no festival da freguesia.

Folclore de Afife, vai participar em varios numeros dasfestas da Agonia.

Afifense prepara torneio de apresentação da equipa senior.

Incendios continuam  em freguesias vizinhas a Afife, embora este ano a freguesia não tenha sido muito atingida com este flagelo, dada a pronta intervenção dos equipamentos da Junta e a ajuda de populares, bem como da associação dos caçadores da Serra de Santa Luzia.                                   

.AFIFE DIGITAL   DE FERIAS,   a partir desta edição, vamos entrar no habitual período de ferias e por tal, voltamos em Setembro com as edições normais, no entanto estaremos em edição on-line e colocaremos aqui a informação, sempre que para tal se justifique.                               

.Moradores de Bouça Cabrita, chamaram a SIC, para denunciar reivindicações, que dizem não ter sido atendidas pelas entidades e dizem que nem sequer obtiveram uma resposta ao seu abaixo-assinado,enviado à Câmara de Viana.                                 

 Há iluminação escondida em Afife, alguns casos que  verificamos, não deixam duvidas que há lampadas a iluminarem de noite os passarinhos no cimo das arvores,                

Afife vai estar representada no cortejo da festas de Viana,com 25 figurantes, alem  de participar em muitos outros pontos da festa.                   

Agosto, está a ser o mais fraco de sempre, em termos de frequentadores das praias de Afife.                                   

 Limpeza na freguesia, está a ser bem feita pelos  trabalhadores da Junta e Câmara, só que há quem não contribua em nada para  que a freguesa se mostre limpa nesta altura do ano.                          

APCA, chama a atenção para as florestas.                              

Afifense inicia preparação, com vista ao campeonato nacional de andebol da terceira divisão, que se inicia em Setembro.                                    

Vila Praia de Ancora, manifestou-se, contra o encerramento da passagem de nível da Travessa do Teatro.                                    

Feira do chouriço, em S. Lourenço da Montaria, teve menos vendas e menos vendedores.            

 

.

           VIANA DO CASTELO.                         

CÂMARA E ASSOCIAÇÕES, ASSINAM PROTOCOLOS.

1,2 MILHÕES PARA AGUAS E SANEAMENTO.

MILITARES VIGIAM SANTA LUZIA.

AVENIDA DOS COMBATENTES, INTERDITA AO TRANSITO NAS FESTAS.

CÂMARA PROMOVE ESTUDO,PARA CAMPO DE GOLFE.

CAMARA, COMEMORA DIA DA JUVENTUDE.

PRESIDENTE DA CÂMARA, RECEBEU MANUELA MACHADO.

 

       CAMINHA.                                              

CISA, ACOLHE ASTRONOMIA NA SERRA DE ARGA.

VITORINO DE ALMEIDA EM DEM.

CAMPANHA AMBIENTAL EM VILA PRAIA DE ANCORA

ARTE NA LEIRA, A CHEGAR AO FIM

ILUMINAÇÃO PUBLICA, ESCONDIDA

        ILUMINAÇÃO PUBLICA, A ILUMINAR OS PASSARINHOS.    

 

Em Afife, há situações na iluminação publica, que merecem ser noticiadas, já que estas se apresentam pouco comuns e de certa maneira caricatas, senão vejamos, em sítios, há luz a mais, enquanto que em outros há luz a menos. Por tal passamos a exemplificar aquelas situações que mais facilmente dão na vista. Começamos precisamente por um local, onde nem sequer era necessário, mas há luza mais, situa-se na estrada de acesso à praia, onde existem dois postes ambos com ponto de luz e desviados meio metro, um do outro.

               

Tudo isto se verifica há mais de um ano, quando colocaram a iluminaçãono troço de acesso da praia de Afife à nacional 13. Outra situação, embora já praticamente resolvida de momento, situa-se no jardim da Poça, onde o ponto de luz, estava no meio da arvore que cresceu junto ao poste, a luz estava lá, só que servia apenas os passarinhos, já que a vegetação encobria por completo a lâmpada. Agora depara-se com um poste situado mesmo em frente à Capela da Senhora da Rocha, onde existe um ponto de luz, mas este só e detectado de noite, como ponto sinalizador e não como iluminador, já que as eras cresceram pelo poste e encobriram por completo a lâmpada.

                               

Na imagem à face do caminho, podemos ver o poste coberto de vegetação, a lâmpada está na sua parte superior, mas está praticamente toda encoberta pela vegetação, que não é facilmente detectada.

Aqui o mais engraçado, é que há pouco tempo a lâmpada foi substituída e ninguém se preocupou em cortar a vegetação. Este local até é dos que mais precisa de iluminação, já que a maior parte dos candeeiros da Capela, tem as lâmpadas avariadas e assim não funcionam. Outra das situações, até porque todos os casos são próximos, situa-se no largo junto à casa do Ferreiro, aqui um frondosa Tília, resolveu encobrir por completo o poste e lâmpada de iluminação publica e assim é mais uma luz para os passarinhos.

                         

Aqui podemos ver a Tília e o poste encostado ao seu tronco, a lâmpada está totalmente encoberta pela vegetação e ainda por cima se trata de um local escuro.

Aqui só mesmo quem souber da existência da lâmpada, porque quem passa naquela escuridão, nem se apercebe da situação.Estes são apenas só os casos que se mantêmhá mais tempo sem que tenha sido efectuado qualquer trabalho para resolver a situação,porque certamente que muitos outros existirão na freguesia e que caso a informação nos chegue, daremos a conhecer.

14 de Agosto de 2010

Afife Noticias Informação

MORADORES DE BOUÇA CABRITA CHAMAM A SIC.

PISO DEGRADADO , AUTOCARROS E  SANEAMENTO, NA MIRA DOS PROTESTOS EM   BOUÇA CABRITA.                         

                      

Os moradores da urbanização de Bouça Cabrita, dizem-se fartos de esperar por uma resposta  ao seu abaixo assinado que na altura foi enviado para a Junta de Freguesia, Câmara Municipal, entre outros organismos, de modo a alertarem para situações que queriam ver resolvidas e que passavam pela paragem e abrigos para os transportes públicos, resolução da estação elevatória do saneamento que, faz os esgotos correrem a céu aberto para um rego foreiro em certas ocasiões, bem com a pavimentação de uma via de acesso à urbanização e que dizem ser municipal, que se encontra esburacada e no inverno passar ali, dizem ser um autentico problema com os buracos a serem encobertos pela agua.
Na altura, moradores desta urbanização e do norte da freguesia, uniram-se  nesse abaixo assinado e reclamavam pela resolução destes problemas. Passados que foram já vários meses, os moradores nunca vieram a obter qualquer resposta ás suas reclamações e como tal resolveram afora manifestar o seu descontentamento perante a situação de falta de resposta e de nada ter sido feito, muito embora tivessem recebido garantias que a Câmara iria resolver estes problemas. Assim e como até agora o caso não registou qualquer evolução, os moradores dizem-se fartos de esperar por uma resposta se vai ou não acontecer obra para estas reivindicações, resolveram levar o caso a um programa informativo do canal televisivo, SIC, que se vai deslocar à freguesia afim de noticias todo este caso. Quanto ao porta voz dos moradores da urbanização, por nos contactado, diz que os moradores terão já esgotado a sua paciência de tanto esperar por uma resposta e diz que mereciam mais respeito por parte das entidades, pelo menos que deveriam ter dado uma resposta. Dizem ainda que querem ver resolvidos estes problemas,,porque se trata de uma caso que se arrasta há anos a esta parte e que está esquecido pelas entidades que tem responsabilidades nesta área.
14 de Agosto de 2010
Afife Noticias Informação

AFIFE, VAI ESTAR PRESENTE NO CORTEJO DE VIANA.

   AFIFENSES, VÃO INTEGRAR O CORTEJO DA AGONIA.       

                            

 Afife, vai ter uma representação de 25 elementos a incorporar o cortejo das festas da Senhora da Agonia em Viana, que vão num carro alegórico interpretando papeis relacionados com a parte histórica ligada ao mar de Viana. Estes vão num galeão, comandados pela actor Afifense, António Neiva,  que durante o percurso vai declamar poemas ligados a Viana.  Haverá mais Afifenses a compor este galeão como figurantes, uns de marinheiros, outros de peregrinos e algumas figuras históricas, indo assim de encontro à temática deste ano “Os Mares de Viana”.

                 

 O cortejo está marcado para Sábado, dia 21 de Agosto, com inicio às 16:00h. Afife vai estar representada em muitos outros números, como acontece através do Grupo de Folclore, que vai participar em desfiles,Mordomia, festa do traje e outros, bem com outros números do cortejo na parte etnográfica. Ao longo dos anos a freguesia de Afife sempre esteve presente nas festas de Viana, mesmo nos seus primórdios, com os trajes e o seu folclore, mais tarde viria a integrar o cortejo e a Sarração da Velha era sempre motivo a apresentar, mesmo que por vezes com uma encenação irreal e despropositada em relação à verdadeira tradição Afifense. Afife já participou na divulgação das festas na Galiza, mais propriamente em Compostela, quando uma delegação Vianense ali se deslocou, Afife apresentou assim as suas lavradeiras com o traje vermelho, ou de luxo.

14 de Agosto de 2010

Afife Noticias Informação

com Rui Martins

AGOSTO, FRACO EM TERMOS DE TURISTAS.

   AGOSTO, COM    POUCOS TURISTAS EM AFIFE.        

                        

Este será certamente o pior Agosto em termos de turistas que há memoria em Afife, dado que a ocupação de casas particulares, ficou muito abaixo daquilo que era normal e acima de tudo os emigrantes em França, também não se fizeram notar nas praias. O tempo de crise que se vive pela Europa fora, terá contribuído para que muita gente tenha optado por fazer ferias mais baratas e não sair dos seus países de origem, acontece que se vai notando um certo equilíbrio em termos de turismo de habitação, já que algumas das casas contactadas, dizem que não se regista uma quebra muito significativa, já que  neste caso, são as pessoas de mais idade que optam por este tipo de habitação e fazem-no por curtos períodos de tempo, nunca indo alem dos oito ou no máximo quinze dias. Pelas praias a quebra é muito significativa e no mês de Julho as praias de Afife, receberam menos  60 mil veraneantes que o ano passado e nota-se que muitos dos frequentadores das praias e muito especialmente ao fim de semana, já levam consigo a mala térmica com as refeições.
                   
 Outra situação verificada durante esta primeira metade do Agosto, é que são poucos os emigrantes de França que normalmente enchiam as praias de Afife em Agosto,no entanto contactados alguns, nos referenciaram que o facto de muitos não terem vindo de ferias, prende-se com a crise que também se faz notar em França, em que muitas empresas foram à falência e muitos emigrantes mudaram de patrão e por tal não tem direito a ferias, mas também nos adiantaram que este ano, há muitos emigrantes que só tiveram quinze dias de ferias e por vezes tem outros afazeres e nem sequer tempo tem para ir à praia. No entanto e na praia da Arda quisemos saber que são os frequentadores desta praia e em contactos efectuados ao domingo, deparamos que são as pessoas de Braga, que mais frequentam esta praia, não só pelo surf, mas dizem ser uma praia conhecida e segura, é uma paria que atrai a juventude, assim como Espanhóis. Quanto à praia do Caracol, são igualmente os Portugueses os maiores frequentadores, seguindo-se os Belgas, mas apenas estes em Julho.

14 de Agosto de 2010

Afife Noticias Informação

LIMPEZA EM AFIFE.

   LIMPEZA EM AFIFE, TORNA-SE DIFÍCIL NO VERÃO.   

                    

Embora não pareça, mas é facto que de verão a freguesia de Afife se torna menos limpa, não pelos esforços desenvolvidos pelos trabalhadores da autarquia, mas sim e muitas vezes pelas pessoas que não contribuem minimamente para deixarem os espaços que utilizam, pelo menos como os encontraram. Sabemos que em termos de contentores de recolha de resíduos, estes em alguns pontos da freguesia,são insuficientes durante todo o ano, quanto mais nesta altura, mas aqui também tem que haver civismo por parte das pessoas que utilizam estes locais, o que nem sempre acontece senão vejamos aquilo que encontramos numa visita efectuada pela freguesia.

                    

No espaço de recolha de resíduos junto à Casa do povo.deparamos com o Molok, cheio e inúmeros sacos, mal acondicionado em seu redor, ao lado estavam os contentores de recolha selectiva, praticamente vazios, mas fora destes, haviam inúmeras garrafas de vidro, cartões,uma televisão, cadeiras de plástico e até madeiras. aqui as pessoas nem sequer se deram ao trabalho de colocar esse lixo nos seus devidos espaços. Conclusão, fica ali durante todo o fim de semana uma exposição nada digna daquele local, por má utilização daquele espaço. Aqui pergunta-se, porque é que acontece no verão, será que são as pessoas de Afife que tem tais procedimentos, ou serão aqueles que cá estão de ferias e que não estão habituados a utilizarem estes espaços de deposição de lixo. Situação idêntica, encontramos no mesmo dia nos Moloks da Agrela e Empostalha.

No parque de estacionamento da praia da Ínsua, a Junta de freguesia colocou ali sacos para a deposição de lixo, muito embora na praia,aconteça o mesmo e até com locais de recolha selectiva, mas é facto que as pessoas nãos se dão ao trabalho de colocar o lixo  nos sacos ou no contentor e colocam-no em pleno parque. Aqui não se podem culpar os caravanistas que por vezes ali estacionam, já que nos disseram que haviam recolhido muito lixo que se encontrava espalhado pelo parque. A praia do caracol, não é diferente, pois encontramos mais lixo espalhado, que nos receptáculos adequados para esse efeito.

Quanto à praia da Arda e para surpresa de todos, foi a praia mais limpa que encontramos, aqui as pessoas utilizam na sua grande maioria os contentores e se tivermos em conta que esta praia é  frequentada pela juventude, tudo leva a crer que estes estão no bom caminho em termos de procedimentos ambientais. Aqui apenas encontramos, em grandes quantidades, panfletos de publicidade a discotecas, bares e espaços de diversão nocturna.

14 de Agosto de 2010

Afife Noticias Informação

APCA

 

ASSOCIAÇÃO DE PROTECÇÃO E CONSERVAÇÃO DO AMBIENTE – APCA

Fundada em 13 de Setembro de 2001                     Contribuinte      505775620

Telefone / Fax : 258 981888 - Telemo. 919842173  -  Email : apca.ambiente@sapo.pt

CAMINHO DO CRUZEIRO  Nº 90            -------------------             4900-012   A F I FE

 

NOTA DE IMPRENSA

 

 

ASSOCIAÇÃO DE PROTECÇÃO E CONSERVAÇÃO DO AMBIENTE – APCA

Fundada em 13 de Setembro de 2001                     Contribuinte      505775620

Telefone / Fax : 258 981888 - Telemo. 919842173  -  Email : apca.ambiente@sapo.pt

CAMINHO DO CRUZEIRO  Nº 90            -------------------             4900-012   A F I FE

 

NOTA DE IMPRENSA

 

Protagonismo político à custa da Floresta. Não obrigado! 

 

 

A Associação de Protecção e Conservação do Ambiente – APCA desde a sua fundação que dedica uma atenção particular à Floresta, tendo, ainda, no dia 19 de Março do ano em curso, na sequência da análise da situação da Floresta no Minho concluído e divulgado um conjunto de medidas que considera cruciais, tendo como caso de estudo o ocorrido em 1998 e 2005 no Município de Viana do Castelo. Infelizmente as situações reptem-se sendo inqualificáveis as declarações de algumas pessoas com necessidades de protagonismo nacional, mas que nunca deixarão de ser responsáveis por esta sucessão de ocorrências, só porque mudaram de cadeira na teia política do nosso país. Não podemos deixar de denunciar e condenar este tipo de comportamento, considerando uma afronta a todos os que profissionalmente e ou voluntariamente tentam dar o seu melhor todos os dias na defesa e protecção da floresta, muitas vezes sem meios porque os responsáveis políticos andavam pelos corredores a “assobiar” esquecendo-se do que deviam ter feito após os incêndios de 1998 e 2005.

Tal como fizemos nos últimos dez anos relembra-se que as comemorações são importantes mas o preconizado nas mesmas deve ser uma prática diária dos organismos e senhores que por vezes se servem desses dias para se auto-promover. É inquestionável, para a APCA, que a Floresta Minhota é um dos recursos naturais da região, mais importantes, no desenvolvimento e sustentabilidade deste espaço territorial, destacando-se o relevo da fileira florestal do Alto Minho, na economia regional, assim como entre as suas múltiplas valências, o papel de sorvedouro de CO2 (Dióxido de Carbono), num momento em que as alterações climáticas estão na ordem do dia em termos mundiais. Relembra-se a importância deste recurso natural renovável, nas estratégias de desenvolvimento e sustentabilidade do Minho, porém ou não tem sido considerado ou simplesmente é-lhe atribuído um papel secundário ou mesmo residual, entendendo a APCA que a alteração deste quadro impõe a adopção urgente de um conjunto de medidas a desenvolver no seio das Comunidades Intermunicipais, Municípios e Freguesias de que destacamos as seguintes, conforme temos vindo, ano após ano, a divulgar:

  • Recenseamento e Cadastro das propriedades florestais, devendo este trabalho que consideramos fundamental ter subjacente o envolvimento e acção das Juntas de Freguesia, enquanto estruturas administrativas próximas da população e conhecedoras das realidades e especificidades locais;
  • Fiscalização adequada no período mais crítico e adequação da floresta às alterações climáticas em curso, sem esquecer as especificidades regionais e locais;
  • Emparcelamento das propriedades florestais de forma a ganharem dimensão, contrariando a dispersão e abandono das explorações florestais;
  • Inversão do abandono das práticas agrícolas ligadas ao ciclo de estrumação das terras com mato, associado ao despovoamento humano / migração, adubos químicos, etc;
  • Incentivo de práticas agrícolas suportadas na utilização de adubos naturais (Agricultura Biológica), tais como o mato e sargaço;
  • Incentivos que evitem o abandono das explorações florestais, particularmente, no interior do Alto Minho, onde a situação é muito preocupante;
  • Melhorar e incentivar a limpeza e intervenção cultural dos povoamentos, que acumulam matéria combustível no sub-bosque, dado facilitar a propagação de incêndios;
  • Controlo do aumento das áreas de matos / incultos. Aproveitamento energético da biomassa florestal, tal como já se verifica na Portucel Viana – Grupo Europac;
  • Reduzir a monoespecificidade e continuidade dos povoamentos de pinheiro bravo;
  • Melhorar a insuficiente ou inadequada rede viária e divisional instalada, aproveitando e limpando a rede vicinal existente e que se encontra abandonada;
  • Obstar à expansão de infestantes, concretamente da Acacia longifolia, a partir dos sistemas dunares compreendidos entre os rios Minho e Ave, envolvendo neste processo as áreas de investigação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Instituto Politécnico do Cávado e do Ave e as Universidades do Minho e Fernando Pessoa.

Entende a APCA que não é necessário gastar-se mais dinheiros públicos em mais diagnósticos sobre a Floresta do Minho, os existentes já são mais que suficientes. Não são necessários mais gabinetes ou comissões para se repetirem e sobreporem-se nas tarefas que exercem. A Floresta do Minho precisa de acções concretas, que de uma forma estruturada e planeada definam e calendarizem o tipo de floresta que melhor se adequa ao desenvolvimento auto-sustentado do Minho e a sua gestão integrada.

Analise-se e reflicta-se sobre o que se fez nos últimos 16 anos, por exemplo, na Serra de Santa Luzia, que alguns analistas consideram um período dilacerante da floresta e denominam como o período do “pretenso defensor da floresta”. No chamado ciclo dos incêndios (1998, 2005, 2010 - 2012?) e como reflexão conclui-se que de nada serviu o sucedido em 1998 e 2005, no Alto Minho, particularmente, no concelho de Viana do Castelo, em que arderam cerca de 70% dos 12978 hectares da área florestal deste concelho, ou seja, um terço da área total deste município. Considerando os milhões de euros investidos, na última década, como por exemplo na Serra de Santa Luzia, impunha-se conhecer o porquê do sucedido, como salvaguarda do futuro e prestação de contas sobre a aplicação dos dinheiros públicos. Ficou tudo na mesma, com umas operações de “cosmética florestal” nos sítios mais visíveis, para que não digam que nada foi feito, mas sem que se vislumbre uma visão integrada. Os resultados estão à vista…e o que pudemos dizer dum pretenso defensor da floresta, que foi obrigado a mudar de ares, e que agora anda por aí a gritar medidas e mais medidas, que devia ter implementado, mas não o fez, quando teve todo o tempo para o fazer? Que a floresta também arde por causa de pessoas com este tipo de comportamento.

 Ainda é cedo para fazer-se balanços, porém relembra-se que em 2005 foram registados no Alto Minho 2426 incêndios, de que resultou a combustão de 15439 hectares de povoamentos e 11629 hectares de matos, portanto um total de 27068 hectares que representa cerca de 35% da área total florestal do Alto Minho. Note-se que cerca de 30% da área total ardida no Alto Minho teve lugar no concelho de Viana do Castelo, o que evidencia que não é com o tipo de investimentos efectuados, que se consegue debelar ou pelo menos minimizar o dizimar cíclico do Minho pelos incêndios, salientando-se que em 2005 a área ardida no concelho de Viana do Castelo mais que duplicou os valores de 1998, em que arderam 4048,47 hectares. Em Março deste ano dissemos que “a manter-se tudo na mesma, e considerando as linhas de tendência reveladas pelas séries estatísticas existentes para este espaço territorial, estaremos porventura em 2011 / 2012, novamente, a lamentar a área ardida, enquanto o pretenso defensor da serra passou a assobiar noutras paragens”. O ano de 2010 é já negro, não obstante desde, 2005, que a APCA alertava para esta possibilidade, cuja probabilidade era elevada. Pergunta-se, o que foi feito até agora? Os resultados infelizmente estão à vista.

Genericamente a floresta do Alto Minho necessita que cada organismo desempenhe as competências e atribuições que a lei lhes confere, sem sobreposições ou competições descabidas e inaceitáveis. A Floresta não precisa de competições de organismos para saber “quem manda mais” ou consegue captar mais fundos comunitários para se auto-sustentarem. A floresta precisa apenas de um organismo da administração central ou regional, que coordene e fiscalize as acções de produção, exploração, conservação e gestão da floresta, que por sua vez são incumbências e responsabilidades dos proprietários da floresta, que para o efeito se devem associar. O Estado, através da administração pública (central, regional ou local), apenas tem que definir regras e exigir que os titulares da floresta as cumpram e sancionar levando à barra da justiça os pretensos defensores da floresta, pelos actos que praticaram lesivos do interesse público. O combate à corrupção também passa por uma actuação nestes domínios. Tomando como exemplo a Serra de Santa Luzia em que 99,99% é privada, e considerando, ainda, as dezenas de milhões de euros públicos investidos, nesta serra, será que alguém já teve o discernimento de fazer um balanço de benefícios e custos? É evidente que se alguém fizer esse balanço chegará a valores negativos impensáveis, todavia continua-se a cometer os mesmos erros nas acções empreendidas.

Proteger-se a Floresta é um trabalho de todos para todos, onde ninguém pode ficar de fora, particularmente, aqueles que representam o Povo Minhoto, que infelizmente parecem andar mais preocupados com a sua promoção pessoal do que com os problemas reais das populações que representam. As acções pontuais por muito louváveis que sejam nunca deixarão de ser um mero paliativo, impondo-se acções concretas se queremos valorizar a Agricultura Minhota, recuperar e conservar a Floresta, proteger os recursos hídricos e preparar-nos para as alterações climáticas em curso. O tempo não é para pretensos defensores do que quer que seja, mas para acções concretas que incrementem um desenvolvimento equilibrado, estruturado e auto-sustentado do Minho, pensando nas gerações do presente e futuras.          

 

Afife, 12 de Agosto de 2010                                                        

A Direcção da APCA

sem meios porque os responsáveis políticos andavam pelos corredores a “assobiar” esquecendo-se do que deviam ter feito após os incêndios de 1998 e 2005.

Tal como fizemos nos últimos dez anos relembra-se que as comemorações são importantes mas o preconizado nas mesmas deve ser uma prática diária dos organismos e senhores que por vezes se servem desses dias para se auto-promover. É inquestionável, para a APCA, que a Floresta Minhota é um dos recursos naturais da região, mais importantes, no desenvolvimento e sustentabilidade deste espaço territorial, destacando-se o relevo da fileira florestal do Alto Minho, na economia regional, assim como entre as suas múltiplas valências, o papel de sorvedouro de CO2 (Dióxido de Carbono), num momento em que as alterações climáticas estão na ordem do dia em termos mundiais. Relembra-se a importância deste recurso natural renovável, nas estratégias de desenvolvimento e sustentabilidade do Minho, porém ou não tem sido considerado ou simplesmente é-lhe atribuído um papel secundário ou mesmo residual, entendendo a APCA que a alteração deste quadro impõe a adopção urgente de um conjunto de medidas a desenvolver no seio das Comunidades Intermunicipais, Municípios e Freguesias de que destacamos as seguintes, conforme temos vindo, ano após ano, a divulgar:

  • Recenseamento e Cadastro das propriedades florestais, devendo este trabalho que consideramos fundamental ter subjacente o envolvimento e acção das Juntas de Freguesia, enquanto estruturas administrativas próximas da população e conhecedoras das realidades e especificidades locais;
  • Fiscalização adequada no período mais crítico e adequação da floresta às alterações climáticas em curso, sem esquecer as especificidades regionais e locais;
  • Emparcelamento das propriedades florestais de forma a ganharem dimensão, contrariando a dispersão e abandono das explorações florestais;
  • Inversão do abandono das práticas agrícolas ligadas ao ciclo de estrumação das terras com mato, associado ao despovoamento humano / migração, adubos químicos, etc;
  • Incentivo de práticas agrícolas suportadas na utilização de adubos naturais (Agricultura Biológica), tais como o mato e sargaço;
  • Incentivos que evitem o abandono das explorações florestais, particularmente, no interior do Alto Minho, onde a situação é muito preocupante;
  • Melhorar e incentivar a limpeza e intervenção cultural dos povoamentos, que acumulam matéria combustível no sub-bosque, dado facilitar a propagação de incêndios;
  • Controlo do aumento das áreas de matos / incultos. Aproveitamento energético da biomassa florestal, tal como já se verifica na Portucel Viana – Grupo Europac;
  • Reduzir a monoespecificidade e continuidade dos povoamentos de pinheiro bravo;
  • Melhorar a insuficiente ou inadequada rede viária e divisional instalada, aproveitando e limpando a rede vicinal existente e que se encontra abandonada;
  • Obstar à expansão de infestantes, concretamente da Acacia longifolia, a partir dos sistemas dunares compreendidos entre os rios Minho e Ave, envolvendo neste processo as áreas de investigação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Instituto Politécnico do Cávado e do Ave e as Universidades do Minho e Fernando Pessoa.

Entende a APCA que não é necessário gastar-se mais dinheiros públicos em mais diagnósticos sobre a Floresta do Minho, os existentes já são mais que suficientes. Não são necessários mais gabinetes ou comissões para se repetirem e sobreporem-se nas tarefas que exercem. A Floresta do Minho precisa de acções concretas, que de uma forma estruturada e planeada definam e calendarizem o tipo de floresta que melhor se adequa ao desenvolvimento auto-sustentado do Minho e a sua gestão integrada.

Analise-se e reflicta-se sobre o que se fez nos últimos 16 anos, por exemplo, na Serra de Santa Luzia, que alguns analistas consideram um período dilacerante da floresta e denominam como o período do “pretenso defensor da floresta”. No chamado ciclo dos incêndios (1998, 2005, 2010 - 2012?) e como reflexão conclui-se que de nada serviu o sucedido em 1998 e 2005, no Alto Minho, particularmente, no concelho de Viana do Castelo, em que arderam cerca de 70% dos 12978 hectares da área florestal deste concelho, ou seja, um terço da área total deste município. Considerando os milhões de euros investidos, na última década, como por exemplo na Serra de Santa Luzia, impunha-se conhecer o porquê do sucedido, como salvaguarda do futuro e prestação de contas sobre a aplicação dos dinheiros públicos. Ficou tudo na mesma, com umas operações de “cosmética florestal” nos sítios mais visíveis, para que não digam que nada foi feito, mas sem que se vislumbre uma visão integrada. Os resultados estão à vista…e o que pudemos dizer dum pretenso defensor da floresta, que foi obrigado a mudar de ares, e que agora anda por aí a gritar medidas e mais medidas, que devia ter implementado, mas não o fez, quando teve todo o tempo para o fazer? Que a floresta também arde por causa de pessoas com este tipo de comportamento.

 Ainda é cedo para fazer-se balanços, porém relembra-se que em 2005 foram registados no Alto Minho 2426 incêndios, de que resultou a combustão de 15439 hectares de povoamentos e 11629 hectares de matos, portanto um total de 27068 hectares que representa cerca de 35% da área total florestal do Alto Minho. Note-se que cerca de 30% da área total ardida no Alto Minho teve lugar no concelho de Viana do Castelo, o que evidencia que não é com o tipo de investimentos efectuados, que se consegue debelar ou pelo menos minimizar o dizimar cíclico do Minho pelos incêndios, salientando-se que em 2005 a área ardida no concelho de Viana do Castelo mais que duplicou os valores de 1998, em que arderam 4048,47 hectares. Em Março deste ano dissemos que “a manter-se tudo na mesma, e considerando as linhas de tendência reveladas pelas séries estatísticas existentes para este espaço territorial, estaremos porventura em 2011 / 2012, novamente, a lamentar a área ardida, enquanto o pretenso defensor da serra passou a assobiar noutras paragens”. O ano de 2010 é já negro, não obstante desde, 2005, que a APCA alertava para esta possibilidade, cuja probabilidade era elevada. Pergunta-se, o que foi feito até agora? Os resultados infelizmente estão à vista.

Genericamente a floresta do Alto Minho necessita que cada organismo desempenhe as competências e atribuições que a lei lhes confere, sem sobreposições ou competições descabidas e inaceitáveis. A Floresta não precisa de competições de organismos para saber “quem manda mais” ou consegue captar mais fundos comunitários para se auto-sustentarem. A floresta precisa apenas de um organismo da administração central ou regional, que coordene e fiscalize as acções de produção, exploração, conservação e gestão da floresta, que por sua vez são incumbências e responsabilidades dos proprietários da floresta, que para o efeito se devem associar. O Estado, através da administração pública (central, regional ou local), apenas tem que definir regras e exigir que os titulares da floresta as cumpram e sancionar levando à barra da justiça os pretensos defensores da floresta, pelos actos que praticaram lesivos do interesse público. O combate à corrupção também passa por uma actuação nestes domínios. Tomando como exemplo a Serra de Santa Luzia em que 99,99% é privada, e considerando, ainda, as dezenas de milhões de euros públicos investidos, nesta serra, será que alguém já teve o discernimento de fazer um balanço de benefícios e custos? É evidente que se alguém fizer esse balanço chegará a valores negativos impensáveis, todavia continua-se a cometer os mesmos erros nas acções empreendidas.

Proteger-se a Floresta é um trabalho de todos para todos, onde ninguém pode ficar de fora, particularmente, aqueles que representam o Povo Minhoto, que infelizmente parecem andar mais preocupados com a sua promoção pessoal do que com os problemas reais das populações que representam. As acções pontuais por muito louváveis que sejam nunca deixarão de ser um mero paliativo, impondo-se acções concretas se queremos valorizar a Agricultura Minhota, recuperar e conservar a Floresta, proteger os recursos hídricos e preparar-nos para as alterações climáticas em curso. O tempo não é para pretensos defensores do que quer que seja, mas para acções concretas que incrementem um desenvolvimento equilibrado, estruturado e auto-sustentado do Minho, pensando nas gerações do presente e futuras.          

 

Afife, 12 de Agosto de 2010                                                        

A Direcção da APCA

ANDEBOL

       AFIFENSE VAI DAR INICIO AOS TREINOS DE ANDEBOL.     

                    

A Associação Desportiva Afifense, prepara-se para abrir portas para a nova época desportiva, especialmente no tocante à equipa sénior, que vai uma vez mais disputar o campeonato nacional de andebol da terceira divisão zona norte. A preparação para a nova época, arranca já dia 24 para os seniores, já que o campeonato se inicia em princípios de Setembro. Para a época desportiva que se avizinha a equipa sénior Afifense, mantêm a espinha dorsal da equipa, muito embora seja reforçada com alguns atletas jovens formados na casa, até porque  a associação não vai contar de novo com o seu escalão de juniores. Os treinos são iniciados no dia 24, com a reposição dos níveis de forma física dos atletas, que não vai ser fácil dado que estes se encontram de ferias desde Junho e como na Associação Desportiva Afifense, todos jogam pelo prazer de praticar desporto e o amor à camisola, nada recebem, ao contrario daquilo que acontece na maioria dos clubes que disputam este mesmo campeonato. O sorteio dos campeonatos nacionais vai acontecer dia 23, e depois é a vez dos clubes informarem a Federação dos locais e horas dos jogos em casa, bem como de procederem à inscrição dos atletas que vão disputar o campeonato. Neste momento o pavilhão David Freitas, encontra-se encerrado,devido as ferias do pessoal, reabrindo em Setembro, altura em que todos os escalões do Afifense, voltam ao trabalho com vista à entrada em competição.

14 de Agosto de 2010

Afife Noticias Informação

ANCORENSES, MANIFESTARAM-SE

VILA PRAIA DE ANCORA, MANIFESTOU-SE, PELA ABERTURA DA TRAVESSA DO TEATRO.                                  

                   

                

Gentes de Vila Praia de Ancora, manifestaram-se no final desta tarde na Praça da Republica, contra o encerramento da passagem de nível da travessa do Teatro. A iniciativa partiu dos comerciantes de Vila Praia de Ancora, que a maioria encerrou os seus estabelecimentos, durante esta manifestação, como forma de protestar contra a posição da Refer e tiveram ainda o apoio da Junta de Freguesia, ACIVAC e Câmara de Caminha nesta sua luta, já que alegam que este encerramento, acarreta grandes prejuízos para os estabelecimentos daquela área, que até tem duas farmácias. Foram cerca de duas centenas aqueles que se manifestaram com a sua presença e todos diziam que a passagem deve ser aberta, até porque ali nunca aconteceu qualquer acidente e não há falta de segurança.

 A população da vila ocorreu à chamada e concentrou-se frente à Capela da Senhora da Bonança e os comerciantes alertaram com cartazes, (Vila Praia de Ancora Sem Muros, Circular é Viver. Não Queremos Ancora Dividida, Queremos Circular, Queremos Passar entre muitos outros.

A abrir a manifestação, usou da palavra o presidente da ACIVAC, seguindo-se o presidente da J8unta de Vila Praia de Ancora, que traçou o ponto a situação assim como a evolução que tem tido, no entanto manteve firme a ideia que a sua autarquia sempre vai estar ao lado da população que o elegeu. No final, todos em conjunto se deslocaram até à passagem, afim de tomarem conhecimento da situação. No local e tal como tem acontecido, havia uma passagem, que terá sido aberta pelo “Zorro” assim é conhecido aquele que na noite corta o gradeamento e no muro havia imã inscrição que assinala “MURO DE BERLIM”.

                       

Neste local todos criticaram o encerramento e exigem que a abertura se faça de uma vez para sempre. Para Manuel Marques, diz que esta vontade da população, vai certamente chegar aos políticos do governo porque alguns também estavam presentes e que a comunicação social também tem a sua parte, no fazer chegar a vontade das gentes da Vila.

POSIÇÃO DA ACIVAC.

Para o presidente da ACIVAC, José Luís Ramos, salienta que esta manifestação, é mais uma forma da população da Vila fazer ver à Refer o seu descontentamento por aquele encerramento que divide a Vila entre a área marítima e a rural. Salienta que todos estão concentrados em encontrar uma solução que seja capaz de servir as pessoas, considera que os comerciantes na sua maioria estão unidos nesta luta, até porque considera serem estes os mais visados e aponta uma quebra de negócios na ordem dos 35%, desde que encerrou aquela passagem, porque tem a ver com o parque de estacionamento do parque Ramos Pereira, que tem uma capacidade de 350 carros e com o encerramento da passagem, as pessoas tem que percorrer mais de 300 metros para acederem ao comercio daquela área. Recordou que há já comerciantes daquela área que ponderam o encerramento dos seus estabelecimentos, ou mesmo a sua deslocalização para Caminha ou mesmo para Viana. Considera que a luta, é para continuar até que sejam ouvidos e diz que há políticos que já estão sensibilizados para o problema e até o Governador Civil, já se mostrou do seu lado e encerou contactos a nível do governo.

A AUTARQUIA, ESTÁ COM A POPULAÇÃO

Para Manuel Marques, presidente da Junta de Vila Praia de Ancora, salientou que a autarquia está de alma e coração com as gentes da Vila, que considera, já que a situação acarreta prejuízos para os comerciantes, diz que a Refer sempre refere as Leis, como justificação, mas Manuel Marques, diz que as Leis podem ser mudadas e considera que tudo não passa de falta de vontade política, por isso é que as pessoas mostram a sua indignação. Quanto à passagem ser perigosa, Manuel Marques rejeita essa posição e diz que nunca ali se verificou qualquer acidente e diz que acima de tudo ao Ancorenses não querem ver a vila dividida e se a Refer uniu esta durante muitos anos, cita “que não venha agora a Refer borrar a escrita”.

 

A CAMARA APOIA A ABERTURA DA PASSAGEM.

Para a Câmara de Caminha e na versão do seu vice-presidente, salienta que a autarquia está ao lado da população e diz não compreender que em Vila Praia de Ancora, a Refer encerre esta passagem, enquanto mantem aberta em igual situação uma passagem em Moledo, por tal a Câmara não vê porque é que a de Ancora teve que encerrar. Considera que a Câmara vai continuar a negociar com a Refer, embora considere que tudo encrava com a falta de vontade política para resolver a situação.

 No final da manifestação pacifica na Praça da Republica, todos se deslocaram até à passagem, para se verem como tudo se encontra, já que passar para o outro lado,é possivel, mas só porque o Zorro, voltaou a actuar de noite e de novo serrou o gradeamente, abrinfo nava passagem, até que a Refer a volte a encerrar e como de costume, aumentando o tal "Muro de Berlim" agora para sul.

 

14 de Agosto de 2010

Afife Noticias Informação

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

CONTADOR

Contador Gratis

Favoritos

Links

.

  • .

.

  • .

.

  • .
  • .

.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

on line


contador de visitas