Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





VESPA ASIATICA NA MATA DA GELGA

por afifenoticias, em 01.12.12

FOI ENCONTRADO UM NINHO DE VESPA ASIÁTICA NA GELFA, TENDO SIDO  JÁ DESTRUÍDO.      

        

Na passada semana, foi detetado um ninho de vespas asiáticas  no interior da mata da Gelfa em Ancora,situado no cimo de ma arvore, tendo este vindo a ser destruído por uma equipa  especializada dos Bombeiros Municipais de Viana do Castelo.

Esta é uma situação que  trás os apicultores preocupados,uma vez que se trata de um inseto invasor proveniente da Asia e é perigoso, dado que não ó ataca seres humanos,como destroem as colmeias autóctones. Assim fica o alerta caso seja verificado a existência de algum destes ninhos, devem ser de imediato alertadas as entidades, para que seja feita uma ação eficaz da sua eliminação.

Os ninhos costumam ser feitos em arvores com alguma altura, em jeito de bola, mas também podem ser encontrado em arvores de fruto ou dependências menos utilizadas.

Para muitos dos apicultores, consideram  que o aparecimento deste tipo de vespa na nossa região, caso não seja detetados os ninhos a tempo, pode causar efeitos dramáticos nas colmeias e mesma nas pessoas, por isso dizem que vão reforçar a sua atenção e alertar para as  pessoas  para caso encontrem alguma coisa mais estranha no cimo de arvores e que se pareça com uma bola, para darem logo o alerta.

No caso de Afife, são muitos aqueles que se dedicam à apicultura, com colmeias em variados locais,assim como nas redondezas existem inumeras colmeias.

 

 

 

 

A espécie Vespa velutina nigrithorax originária do sudoeste da Ásia foi introduzida na Europa, através do porto de Bordéus (França) no ano de 2004. De então para cá, a Vespa velutina já conquistou 1/3 do território francês e colonizou parte do norte de Espanha, em 2010. Em 2011, no concelho de Viana do Castelo, na região do Alto Minho, a presença da V. velutina foi confirmada, sendo esta área indicada como centro de dispersão da V. velutina em território português. No ano de 2012 já foram detetados alguns ninhos em algumas freguesias do concelho de Viana do Castelo. Esta vespa tem um impacto negativo na apicultura e na biodiversidade. Neste momento é impossível erradicar esta espécie exótica de Portugal, mas desacelerar a sua progressão e diminuir o seu impacto, é uma tarefa possível através da destruição de ninhos e colocação de armadilhas.

A partir do mês de Janeiro/Fevereiro a rainha fundadora começa a construir um ninho primário. Este ninho é cerca do tamanho de 2 "bolas de ténis" e contêm a rainha e dezenas de vespas obreiras. Durante a Primavera o ninho começa a crescer em número de obreiras, sendo o ninho primário abandonando e construído um ninho secundário. Este ninho secundário é definitivo e bastante maior que o anterior. Devido ao crescimento exponencial da comunidade de vespas, a maior parte dos ataques aos nossos apiários é realizado no inicio do Verão até ao fim do Outono. Este período pode ser mais alongado caso haja temperaturas amenas durante o Outono. Ainda no princípio do Outono dá-se a fecundação das futuras rainhas (rainhas fundadoras) e, quando as temperaturas começam a decrescer (Outubro / Novembro), estas rainhas iniciam a sua hibernação no solo. Nesta altura do ano, todas as obreiras morreram e o ninho secundário está vazio.

 

O ninho primário

Existem 2 tipos de ninhos: o primário (de primavera) e o secundário (de inverno). O ninho primário é construído durante a época primaveril (Fevereiro a Abril). É constituído pela vespa fundadora e algumas obreiras. Situa-se num raio de ±500 metros do ninho de inverno. É um ninho que costuma ser construído em arbustos, no solo e no interior de caves.

O ninho secundário

O ninho secundário é o ninho definitivo. Na maior parte das vezes é construído nas copas das árvores a mais de 10 metros de altura. O ninho também pode ser construído em algumas árvores de fruto. Este ninho alberga cerca de 2000 vespas e 1 rainha. O ninho não deve ser destruído com armas de fogo. Esta atitude faz com que as vespas fundadoras se espalhem pela zona para produzirem mais ninhos. Devem ser colocadas armadilhas num raio máximo de 1 km destes ninhos para capturar as fundadoras que saem em Novembro e Dezembro.

Conforme informação da Associação Apícola Entre Minho e Lima vimos pelo presente divulgar a seguinte informação relativa à existência de uma espécie de vespa exótica no nosso país.

A entrada desta vespa é feita por Viana do Castelo, tendo já sido detetados ninhos em Ponte de Lima e provavelmente em concelho de Amares. Também é de esperar a sua identificação em Esposende, visto que já foi detetado um ninho em Castelo do Neiva, a 1 km do rio Neiva..

De referir que o impacto negativo desta espécie na apicultura e biodiversidade é elevado.

 frelon_asiatique

 

01-12-12

ANI

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

CONTADOR

estatisticas gratis


geo-visitas




Favoritos