Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

AFIFE DIGIT@L jornal on-line de Afife

NOTICIAS LOCAIS E REGIONAIS ACTUALIZADAS SEMANALMENTE AOS SÁBADOS ÀS 21h30 ........ e-mail: afifenoticias@sapo.pt

NOTICIAS LOCAIS E REGIONAIS ACTUALIZADAS SEMANALMENTE AOS SÁBADOS ÀS 21h30 ........ e-mail: afifenoticias@sapo.pt

...

AFIFE  DIGIT@L             

Jornal on-line de Afife  editado aos sábados. contacto --    afifenoticias@sapo.pt

NECROLOGIA ROTEIRO AFIFE NOTICIAS REGIONAIS CARTAZ CULTURAL
RADIO AFIFENSE JUNTA DE FREGUESIA   

------------------------------------------------------

Casino Afifense, reúne em Assembleia Geral no sábado dia, 10, com 5 pontos a fazer a ordem de trabalhos, o ultimo ponto é a eleição dos corpos sociais para os próximos 2 anos

 A nova norma de  proteção de florestas contra incêndios florestais, tem feito com que muitas pessoas continuem a fazer a limpeza das suas propriedades e ultimamente assiste-se a um numero grande de queimadas que em alguns pontos do Alto Minho, já deram em incêndios.

DSC02336.JPG

 

 

velha saida.JPG

 

Quarta feira há "SARRAÇÂO DA VELHA" em Afife, o cortejo vai sair à rua pelas 90 e meia da noite do Largo do Cruzeiro, depois há testamento e Queima, na Mesa de Pedra do Cruzeiro.
 Sexta dia 9, no Casino Afifense decorre a partir das 9 e meia da noite, uma ação evocativa do Poeta Pedro Homem de Mello, com fados, poesia e folclore

pedro-homem-de-mello.jpg

 

 

foto na apresentação do livro.jpg

 

Hugo Silva, Afifense ligado ao desporto da terra, publico  livro de poesia.
 Terça feira, reúne em sessão extraordinária a assembleia de freguesia de Afife

DSC01290.JPG

 

 
  
  

 

SARRAÇÃO DA VELHA DE AFIFE

AFIFE VAISARRAR A VELHA NA QUARTA FEIRA.

velha saida.JPG

A "Sarração da Velha" de Afife, é só a mais antiga tradição da freguesia e que se mantém viva e por ser uma tradição secular, cabe acima de tudo aos organizadores, o cuidado de manter as suas características tradicionais, para não se cair numa qualquer inverdade que possa enganar de futuro as gerações vindouras. Porque é importante mostrar aos de agora e aos que vem, de como era na realidade esta tradição original da freguesia. No entanto é bom referir que a tradição não é só o dia em que o cortejo com a velha sai aos caminhos, mas sim o inicio da tradição que começa logo na noite da quarta feira de Cinzas, onde os rapazes ao anoitecer saem com os seus triquelitraques, para dar a volta , neste caso na parte norte da freguesia e com o Sarra, a Marcha e o Esgalha, vão assim anunciando a tradição. Durante este período e depois do tocar dos triquelitraques, era habitual o grupo organizador proceder à construção do boneco, que vai representar a velha. Assim era necessário procurar varas, que normalmente eram conseguidas, ou no Monte de Santo António, ou na Cividade ou Cabanas, estas serviam para a feitura da padiola, onde era colocada a efígie da Velha. Depois e para fazer o boneco, era necessário conseguir, ou salgueiros, que eram colhidos na Rocha, ou nas faces do rio, ou vimes, caso o ano fosse de feição para o seu crescimento. Era então moldado o corpo, com vimes, ou salgueiros e depois era colado o papel colorido, este colado com farinha triga, amolecida em agua. A cabeça era feita com uma chila e com uma vela no seu interior. Normalmente o boneco era de confeção tosca e normalmente o boneco calçava botas de borracha, ou de madeira, como do mato. Era assim que acontecia na velha de Afife e dizemos de Afife, porque a certa altura apareceu a velha de Gateira, construida pela familia dos Cachenos, que era feita sempre com muita arte e imaginação, como que de obra de arte se tratasse. Assim para esta quarta feira, o cortejo sai à rua a partir do Largo do Cruzeiro, acontecendo a queima e a leitura do testamento, em cima da não menos centenária mesa do Cruzeiro. Assim todos estão convidados a participar nesta tradição secular da freguesia de Afife.

NOITE EVOCATIVA DO POETA DE CABANAS, DIA 9

ESTA SEXTA FEIRA, NO CASINOAFIFENSE, A NOITE É EVOCATIVA DO POETA PEDRO HOMEM DEMELLO.

26993848_853370298174867_858462949756113136_n.jpg

Sexta feira  o Casino Afifense recebe a partir das 9 e meia da noite, uma ação evocativa ao poeta Pedro Homem de Mello, por altura da passagem do 34º aniversario da sua morte. Vai acontecer uma noite com a poesia, a cargo de José Escaleira, Julio Cardoso e António Neiva, assim como a presença de dois fadistas Jorge Nande e Ana Ferreira, assim como do grupo de folclore de Afife. A iniciativa parte da Câmara de Viana, Junta de Afife, Casino Afifense e Tertúlia Homem de Mello e vem na sequencia de outras ações que tem acontecido, tanto em março, por altura do aniversario da morte do poeta e em Setembro, por altura do aniversario do nascimento do poeta. Refira-se que o poeta estava caído no esquecimento e foi precisamente pela mão da câmara de Viana que se começaram a realizar algumas ações evocativas, sendo a primeira delas, aquela que  mais evidencia teve, pois foi feita uma ampla divulgação das atividades que se realizaram em Afife, onde as televisões dedicaram espaços, com a presença de vários Afifenses em direto e até o cantor Félix, fez a musica , Povo que Lavas no Rio, com todo o poema cantado, ao contrario daquilo que acontece na musica de Amália Rodrigues. Em Afife, há poemas de Homem de Mello, em painéis na entrada da antiga mata de Cabanas, estes com a degradação dos muros, ameaçam desaparecer, no largo do Maceiro e na entrada do cemitério.

 

PREVENÇÃO DE INCENDIOS FLORESTAIS

PREVENÇÃO DE INCENDIOS FLORESTAIS

Em Afife, muitos proprietários começaram a proceder à limpeza de bouças e outros terrenos que se encontram numa faixa de 50 metros em espaços rurais e em áreas arborizadas. Durante esta semana e com o aproximar da chuva, foram efetuadas inúmeras queimadas, onde os proprietários, querem ter os seus terrenos em conformidade com as normas, sobre a proteção de bens e residências, em caso de incêndios florestais. Assim e até dia 15, aqueles que não tenham concluído os trabalhos de limpeza a que são obrigados, sujeitam-se a coimas que serão aplicadas. A junta de freguesia de Afife e na área que lhe diz respeito, também está a proceder a cortes e limpezas das respetivas áreas. No entanto, há ainda outros espaços de outras entidades, que ainda não se encontram em conformidade, com aquilo que é exigido. Em Afife as normas que entraram em vigor definem uma área em volta da freguesia na sua área mais a montante, onde tem que ser efetuado um corte e limpeza, que pode chegar mesmo aos 100 metros.

-----------------------------------------

EDITAL (ALTERADO) Regime excecional das redes secundárias de faixas de gestão de combustível Conjugação da Lei n.º 114/2017 de 29 de dezembro (Orçamento do Estado para 2018), Lei n.º 76/2017 de 17 de agosto e Decreto-Lei n.º 10/2018 de 14 de fevereiro

  1. A) OBRIGATÓRIA A GESTÃO DE COMBUSTÍVEIS NUMA FAIXA DE 50 m NOS ESPAÇOS RURAIS OU FLORESTAIS CONFINANTES COM EDIFÍCIOS 1 - Durante o ano de 2018, e até 15 de março, os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais, são obrigados a proceder à gestão de combustível, de acordo com as normas constantes no Anexo seguinte, numa faixa com as seguintes dimensões: a) Largura não inferior a 50 m, medida a partir da alvenaria exterior do edifício, sempre que esta faixa abranja terrenos ocupados com floresta, matos ou pastagens naturais. b) Largura de 50 m, medida a partir da alvenaria exterior do edifício, quando a faixa abranja exclusivamente terrenos ocupados com outras ocupações. 2 — Durante o ano de 2018, as coimas pela não execução da gestão dos combustíveis, são aumentadas para o dobro. Ou seja, a não execução das limpezas até 15 de março, implica coimas no valor de 280€ a 10.000€, no caso de pessoa singular, e de 1.600€ a 120.000€ no caso de pessoa coletiva.
  2. B) OBRIGATÓRIA A GESTÃO DE COMBUSTÍVEIS NUMA FAIXA DE 100 m NOS ESPAÇOS FLORESTAIS CONFINANTES COM AGLOMERADOS POPULACIONAIS 1 - Nos aglomerados populacionais inseridos ou confinantes com espaços florestais, e previamente definidos no Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI), é obrigatória a gestão de combustível numa faixa exterior de proteção de largura mínima não inferior a 100 m. 2 - Até 30 de abril, compete aos proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos inseridos na faixa referida no número anterior a gestão de combustível nesses terrenos. 3 - Durante o ano de 2018, as coimas pela não execução da gestão dos combustíveis, são aumentadas para o dobro. Ou seja, a não execução destas limpezas até 30 de abril, implica coimas no valor de 280€ a 10.000€, no caso de pessoa singular, e de 1.600€ a 120.000€ no caso de pessoa coletiva.

 

ANEXO ao Decreto-Lei n.º 10/2018 de 14 de fevereiro

Critérios para a gestão de combustíveis no âmbito das redes secundárias de gestão de combustíveis (...)

  1. Para efeitos de gestão de combustíveis no âmbito das redes secundárias de gestão de combustível envolventes aos edifícios, aglomerados populacionais, equipamentos e infraestruturas, aos estratos arbóreos, arbustivos e subarbustivos, não integrados em áreas agrícolas, com exceção das áreas de pousio e de pastagens permanentes, ou de jardim, aplicam-se os seguintes critérios: (...)
  2. No caso de infraestruturas da rede viária às quais se associem alinhamentos arbóreos com especial valor patrimonial ou paisagístico, ainda que das espécies previstas na alínea (...)

III. Nas faixas de gestão de combustíveis envolventes aos edifícios devem ainda ser cumpridos, cumulativamente, os seguintes critérios: (...)

  1. No caso de faixas de gestão de combustível que abranjam arvoredo classificado de interesse público, zonas de proteção a edifícios e monumentos nacionais, manchas de arvoredo com especial valor patrimonial ou paisagístico ou manchas de arvoredo e outra vegetação protegida no âmbito da conservação da natureza e biodiversidade, tal como identificado em instrumento de gestão florestal, ou outros instrumentos de gestão territorial ou de gestão da Rede Natura 2000, pode a comissão municipal de defesa da floresta aprovar critérios específicos de gestão de combustíveis.
  2. A aplicação dos critérios estabelecidos nos pontos anteriores pode ser excecionada mediante pedido apresentado pela entidade responsável pela gestão de combustível, quando da aplicação dos mesmos possa resultar um risco significativo e fundamentado para a estabilidade dos solos e taludes de vias rodo ou ferroviárias, através de despacho dos membros do Governo responsáveis pelas áreas da proteção civil e das infraestruturas. 

(...)

LIVRO DE POESIA DE HUGO SILVA

HUGO SILVA,  TEM LIVRO DE POESIA.

sem nome.png

DIÁRIO  POÉTICO, é o  primeiro livro de poesia lançado pelo Afifense, Hugo Silva, com o prefacio de Casimiro Puga e que mostra a face poética do Hugo, que todos conhecemos pelas suas qualidades como jogador de Andebol, formado nas camadas jovens da Associação Desportiva Afifense e que também acumula as funções de treinador de vários escalões, com destaque neste momento para a equipa de juvenis, que está na fase de qualificação à primeira divisão nacional e contando com o jogador João Sampaio que pelo segundo ano consecutivo se sagrou o melhor marcador do campeonato nacional de andebol da segunda divisão. Este é apenas  uma parte do percurso desportivo do Hugo Silva.

 

 

foto na apresentação do livro.jpg

 

Apresentação do livro de poesia

No dia 9 de Dezembro de 2017, decorreu no bar da Associação desportiva Afifense o lançamento do Livro “Diário Poético” de Hugo Silva. Na plateia contava com a presença de cerca de cinquenta amigos e familiares do autor. A apresentação da obra poética esteve a cargo de Hugo Silva e Carlos Pedrosa.

O guião contou com a leitura de poemas musicados e declamados do livro “Diário Poético” e de poemas escritos por Pedro Homem de Mello.

Os presentes agraciaram com aplausos entusiastas durante o lançamento e saíram satisfeitos com a exposição poética realizada. É de salientar que a venda dos livros foi um sucesso, pois ficaram esgotados na sua apresentação.

 

Pedro Homem de Mello

É por virtudes e não por glória.

Que escrevo em sua memória.

O tempo leva a vida.

Não leva a recordação.

Não leva a poesia.

Que escreveu com a própria mão.

Era um homem do povo.

Tanto do velho, como do novo.

 

 

PREFÁCIO

 

 

 

Hugo Silva, afifense de gema, descendente das velhas casas de Afife, nomeadamente da Casa do Agro e da Casa da Revolta, por um lado neto de lavradores abastados, que viviam da sua lavoura, na vasta e imensa veiga de Afife e em terrenos lavradios herdados há centúrias de seus antepassados, alguns padres pelo meio, homens dos mais cultos de Afife naqueles tempos, por estudarem em Seminários que os tornaram mais eruditos que os comuns dos mortais, descendente ainda dos muitos ilustres estucadores que deram nome à freguesia na “arte” do estuque decorativo, espalhados pelos principais palácios nacionais em qualquer cidade por aí afora e também com antecedentes ferroviários, que os teve bastantes na família, que eu ainda conheci alguns e muitos houve na freguesia de Afife.

Músicos, poetas, homens da cultura, não se conhece nenhum nos seus ancestrais, apenas artífices braçais, mas de alto gabarito, alguns, por isso se estranha esta veia poética no nosso amigo e familiar Hugo Silva, que além do mais com certa queda para o desporto, nomeadamente na modalidade de andebol, que tão bem ajudou a crescer e engrandecer na Associação Desportiva Afifense, recentemente galardoado com uma Licenciatura em Desporto e posterior Mestrado afincadamente estudado na Universidade do Minho, em Braga. Além de uma Pós-Graduação em Fisiologia e Exercício Clínico, na CESPU em Famalicão.

Mestre em Desporto e quem diria, possível “mestre” na poesia, que ao longo dos últimos anos vem aperfeiçoando, mostrando aos amigos alguns versos da sua lavra, que nos momentos de lazer e quiçá mais melancólicos, lhe vai proporcionando a veia poética que se aventura a passar ao papel, aqueles que se salvaram, pois muitos acabariam no lixo, como é usual nesta arte, salvam-se alguns, poucos, dos muitos que se desperdiçam.

Sobre a métrica e a rima, versos, estrofes, sílabas poéticas contadas em verso, nisso não somos versados e deixaremos o assunto para os futuros leitores dos versos do Hugo.

Falar em escansão ou em escandir, o mesmo que marcar a medida ou a quantidade de versos, decompondo-os nas suas diferentes unidades métricas ou silábicas, não nos dizem nada a nós, que somos leigos na matéria, mas que o Hugo sabe tratar tão bem, como que um seu irmão fosse e que o produto final que nos apresenta, seja um deleite para nós, seus leitores e para ele um descargo de consciência cultural que quer mostrar aos vindouros.

De repente lembro-me, que já há bastantes anos lhe ofereci um livro de versos, qual prenúncio para o que viria a seguir e não sentido naquela altura, do nosso António Aleixo sobejamente conhecido “Este livro que vos deixo” e noto agora que volvidos alguns anos, lhe serviu para alguma coisa a oferta simbólica, além de apreciar a rima do Aleixo, de enriquecer o seu ego poético, lhe serviu com certeza para melhorar e aperfeiçoar o seu nível cultural, neste género literário, que é o que todos precisamos e que não é apanágio de qualquer um.

Bem-haja Hugo Silva e desejamos que continue a sua labuta nesta arte, que tanta falta faz ao mundo atual, escancarado como está, que o embeleze poeticamente e todos nós lhe agradeceremos por isso.

 

Afife, aos 11 de Novembro de 2017.

 

 

 

O amigo e tio, honrado com este convite para o prefácio. CASIMIRO PUGA, genealogista.

 

 

Trilogia

Oh! Mar.

Oh! Areia.

Oh! Beleza.

Da minha aldeia.

Só convosco me sinto bem.

Triste e feliz como ninguém.

Do mar preciso.

Um lugar do paraíso.

Tem um extenso areal.

Vai desde a ínsua a arda, passando pelo praial.

Deixando o cheiro a maresia.

Recanto idílico desta nossa freguesia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

CONTADOR

Contador Gratis

Favoritos

Links

.

  • .

.

  • .

.

  • .
  • .

.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

on line


contador de visitas