Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AFIFE DIGIT@L jornal on-line de Afife

NOTICIAS LOCAIS E REGIONAIS ACTUALIZADAS SEMANALMENTE AOS SÁBADOS ÀS 21h30 ........ e-mail: afifenoticias@sapo.pt

NOTICIAS LOCAIS E REGIONAIS ACTUALIZADAS SEMANALMENTE AOS SÁBADOS ÀS 21h30 ........ e-mail: afifenoticias@sapo.pt

LIVRO DE POESIA DE HUGO SILVA

HUGO SILVA,  TEM LIVRO DE POESIA.

sem nome.png

DIÁRIO  POÉTICO, é o  primeiro livro de poesia lançado pelo Afifense, Hugo Silva, com o prefacio de Casimiro Puga e que mostra a face poética do Hugo, que todos conhecemos pelas suas qualidades como jogador de Andebol, formado nas camadas jovens da Associação Desportiva Afifense e que também acumula as funções de treinador de vários escalões, com destaque neste momento para a equipa de juvenis, que está na fase de qualificação à primeira divisão nacional e contando com o jogador João Sampaio que pelo segundo ano consecutivo se sagrou o melhor marcador do campeonato nacional de andebol da segunda divisão. Este é apenas  uma parte do percurso desportivo do Hugo Silva.

 

 

foto na apresentação do livro.jpg

 

Apresentação do livro de poesia

No dia 9 de Dezembro de 2017, decorreu no bar da Associação desportiva Afifense o lançamento do Livro “Diário Poético” de Hugo Silva. Na plateia contava com a presença de cerca de cinquenta amigos e familiares do autor. A apresentação da obra poética esteve a cargo de Hugo Silva e Carlos Pedrosa.

O guião contou com a leitura de poemas musicados e declamados do livro “Diário Poético” e de poemas escritos por Pedro Homem de Mello.

Os presentes agraciaram com aplausos entusiastas durante o lançamento e saíram satisfeitos com a exposição poética realizada. É de salientar que a venda dos livros foi um sucesso, pois ficaram esgotados na sua apresentação.

 

Pedro Homem de Mello

É por virtudes e não por glória.

Que escrevo em sua memória.

O tempo leva a vida.

Não leva a recordação.

Não leva a poesia.

Que escreveu com a própria mão.

Era um homem do povo.

Tanto do velho, como do novo.

 

 

PREFÁCIO

 

 

 

Hugo Silva, afifense de gema, descendente das velhas casas de Afife, nomeadamente da Casa do Agro e da Casa da Revolta, por um lado neto de lavradores abastados, que viviam da sua lavoura, na vasta e imensa veiga de Afife e em terrenos lavradios herdados há centúrias de seus antepassados, alguns padres pelo meio, homens dos mais cultos de Afife naqueles tempos, por estudarem em Seminários que os tornaram mais eruditos que os comuns dos mortais, descendente ainda dos muitos ilustres estucadores que deram nome à freguesia na “arte” do estuque decorativo, espalhados pelos principais palácios nacionais em qualquer cidade por aí afora e também com antecedentes ferroviários, que os teve bastantes na família, que eu ainda conheci alguns e muitos houve na freguesia de Afife.

Músicos, poetas, homens da cultura, não se conhece nenhum nos seus ancestrais, apenas artífices braçais, mas de alto gabarito, alguns, por isso se estranha esta veia poética no nosso amigo e familiar Hugo Silva, que além do mais com certa queda para o desporto, nomeadamente na modalidade de andebol, que tão bem ajudou a crescer e engrandecer na Associação Desportiva Afifense, recentemente galardoado com uma Licenciatura em Desporto e posterior Mestrado afincadamente estudado na Universidade do Minho, em Braga. Além de uma Pós-Graduação em Fisiologia e Exercício Clínico, na CESPU em Famalicão.

Mestre em Desporto e quem diria, possível “mestre” na poesia, que ao longo dos últimos anos vem aperfeiçoando, mostrando aos amigos alguns versos da sua lavra, que nos momentos de lazer e quiçá mais melancólicos, lhe vai proporcionando a veia poética que se aventura a passar ao papel, aqueles que se salvaram, pois muitos acabariam no lixo, como é usual nesta arte, salvam-se alguns, poucos, dos muitos que se desperdiçam.

Sobre a métrica e a rima, versos, estrofes, sílabas poéticas contadas em verso, nisso não somos versados e deixaremos o assunto para os futuros leitores dos versos do Hugo.

Falar em escansão ou em escandir, o mesmo que marcar a medida ou a quantidade de versos, decompondo-os nas suas diferentes unidades métricas ou silábicas, não nos dizem nada a nós, que somos leigos na matéria, mas que o Hugo sabe tratar tão bem, como que um seu irmão fosse e que o produto final que nos apresenta, seja um deleite para nós, seus leitores e para ele um descargo de consciência cultural que quer mostrar aos vindouros.

De repente lembro-me, que já há bastantes anos lhe ofereci um livro de versos, qual prenúncio para o que viria a seguir e não sentido naquela altura, do nosso António Aleixo sobejamente conhecido “Este livro que vos deixo” e noto agora que volvidos alguns anos, lhe serviu para alguma coisa a oferta simbólica, além de apreciar a rima do Aleixo, de enriquecer o seu ego poético, lhe serviu com certeza para melhorar e aperfeiçoar o seu nível cultural, neste género literário, que é o que todos precisamos e que não é apanágio de qualquer um.

Bem-haja Hugo Silva e desejamos que continue a sua labuta nesta arte, que tanta falta faz ao mundo atual, escancarado como está, que o embeleze poeticamente e todos nós lhe agradeceremos por isso.

 

Afife, aos 11 de Novembro de 2017.

 

 

 

O amigo e tio, honrado com este convite para o prefácio. CASIMIRO PUGA, genealogista.

 

 

Trilogia

Oh! Mar.

Oh! Areia.

Oh! Beleza.

Da minha aldeia.

Só convosco me sinto bem.

Triste e feliz como ninguém.

Do mar preciso.

Um lugar do paraíso.

Tem um extenso areal.

Vai desde a ínsua a arda, passando pelo praial.

Deixando o cheiro a maresia.

Recanto idílico desta nossa freguesia.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

CONTADOR

Contador Gratis

Favoritos

Links

.

  • .

.

  • .

.

  • .
  • .

.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

on line


contador de visitas